segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

Tu és o amor de uma vida, não o amor da minha vida.

Fomos feitos um para o outro mas o amor não foi feito para nós. E quanto mais penso nisso mais sentido faz. Quantas vezes tentamos atar as linhas soltas e elas simplesmente escorregavam-nos pelas mãos? Se há algo que eu tenho a certeza é que te amei, só não sei se o amor chegou a ti da mesma maneira que saiu de mim. Fomos feitos de matérias diferentes, produzidos em diferentes espaços de tempo e calculamos tão mal os danos que nos deixamos magoar com todas as nossas diferenças.

Hoje sinto que sou capaz de perdoar o amor que nunca chegou para nos manter unidos, mas será que quero? Perdoar será relembrar e relembrar, qualquer história nossa, é querer voltar a ter-te nos meus braços como que se nunca te tivesse deixado ir. E esta brisa passageira não foi tão passageira como pensei. 

Eu cresci, tu cresceste e hoje não sei se o teu beijo sabe ao mesmo doce aroma que sabia. Hoje não sei se todas as nossas noites seriam iguais e se o nosso futuro seria construído com o mesmo peso e matéria de cada lado. Tu és o amor de uma vida, não o amor da minha vida.

sábado, 17 de outubro de 2015

Aprendi a saber voar

Tudo o que digo ou o que faço poderá não ter sentido para alguém, no entanto, tudo tem um sentido pragmático. A realidade ilustra um conjunto de sentidos que eu própria construí para mim mesma, para me sentir no caminho certo em determinado momento da minha vida. Hoje sei que o que alcancei é resultado de um grande esforço interior, de uma reflexão excessiva para colocar de parte o que pode consumir toda a minha energia vital. Sinto que determinei parte de mim, como que se me programasse para não sentir certas emoções destinadas a certas situações. Sinto que a verdadeira razão de não estar num estado depressivo, hoje, foi a capacidade de me afastar do problema e olhar para ele por outros ângulos. Não me tornei numa pessoa positiva, tornei-me numa pessoa com vontade de viver feliz e livre dos outros.

sexta-feira, 25 de setembro de 2015

Há um mar que habita em nós

Não me importa se a maré continua vazia, esta praia nunca mais será a mesma sem ti. Em tempos existiu algo que nos unia e nos deixava a pensar nas restantes metáforas da vida. Hoje são só lembranças distantes e dispersas que se atrevem a escapar-me pela memória. Lembro-me de seres a âncora do meu barco, já meio despedaçado e com falhas, de assumires o papel de bússola e me indicares sempre o norte em qualquer viagem. Hoje sinto-me a pairar sobre as ondas que me levam ao fundo e arrastam-me contra as rochas vezes sem conta. Tive pressa de crescer, de te ver crescer, ou melhor, pressa de nos ver crescer e essa constante pressa do amanhã foi tão ofegante que tornou-se insuportável continuares a meu lado.

quinta-feira, 17 de setembro de 2015

Deixei-te partir sem saber que a vontade de te ter por perto era maior

Deixei-te partir sem saber que a vontade de te ter por perto era maior. Quando chegou a hora, eu não soube pôr de parte a minha raiva por não me teres dado tanto quanto eu te dei a vida inteira. E a minha vida sempre girou à tua volta. Neste momento parte incerta de mim é um vazio. Tentei preencher com novos sons, novos traços, novos cheiros, mas o teu insistiu em permanecer. Foste um amor de uma vida, da minha vida. Hoje acredito que se o destino tivesse sido mais benevolente, as nossas almas podiam ainda permanecer juntas como duas pombas brancas em dias de sol. Sinto-te ainda tão presente, tão meu. E dói, porque estás e demonstrar que já não queres estar. Não seria tudo tão mais fácil se tu e eu não tivéssemos sido tão tu e eu? Desejo conhecer-te novamente numa outra vida para que terminemos aquilo que outrora começamos. Agora perdoa-me por ter-te deixado ir e só perceber mais tarde que o teu lugar é a meu lado. Hoje e sempre.

sexta-feira, 11 de setembro de 2015

Disse tudo e tudo foi dito

 "As melhores pessoas que tu conheces não são as que te dão palmadinhas nas costas e te dizem «amén» a tudo. as melhores pessoas que tu conheces são as que te dizem “levanta-te daí e enfrenta a vida”.
As melhores pessoas que tu conheces não são as que te deixam sentir pena de ti própria e dizer mal da tua vida todos os dias. As melhores pessoas que tu conheces são as que te ensinam a viver apesar de todos os pesares, as que te dão a mão e as ferramentas que precisas para consertar o teu coração.
As melhores pessoas que tu conheces não são aquelas que concordam sempre contigo, que acham que tu fazes sempre tudo bem,  que a culpa (de tudo) é sempre dos outros e que o mundo conspira contra ti. Não. Essas não são as melhores pessoas, essas não são as Tuas pessoas.
As melhores pessoas que tu conheces, aquelas que deves chamar (e guardar no peito) como tuas pessoas, são as que te chamam à razão, as que te fazem ver que, às vezes, o caminho certo não é o que teimas em querer trilhar, que as pessoas certas não são as que insistes em querer amar, que o orgulho que queres vincar só te faz sentir vazia e que pedir desculpa não faz de ti uma pessoa fraca, mas sim uma pessoa mais leve (e de bem com a vida).
As melhores pessoas que tu conheces são as que estão a cuidar de ti neste momento. com um gesto simples que as torna mais perto, um abraço fechado que se faz colo, uma palavra doce que te alivia o peso do mundo, um sorriso luminoso que te faz acreditar que, com as melhores pessoas do teu lado, tudo se ajeita, tudo se aquieta."

quinta-feira, 3 de setembro de 2015

Regresso à Faculdade

Aluna finalista da Licenciatura de Psicologia, acreditam? Ainda ontem entrei no primeiro ano a delirar com as praxes, bem como com a vida académica e segunda feira, dia 7, já entro na minha primeira aula de 3º ano. Bem sei que tenho ainda um mestrado de 2 anos, obrigatório, para fazer, mas o último ano da licenciatura é, para muitos cursos, o último e assim sendo, posso considerar-me como aluna finalista. Tenho um feeling que vou gostar bastante das novas cadeiras que se avizinham, são mais especificas e são através delas que irei pensar sobre o mestrado que irei escolher, embora queira bastante psicologia clínica. O inicio deste ano vai ficar marcado pela minha primeira vez a praxar pois em Évora, devido à sua grande história académica, só nos é permitido praxar e ter afilhados no 3º ano, espero ansiosamente que tudo corra bem!

quinta-feira, 27 de agosto de 2015

Chegou ao fim

É verdade. A realidade é que a generosidade não dura para sempre, quer queiramos ou não, foram muitas noites e dias instalada numa sala a trabalhar para alguém a troco 0. Nunca me senti mal por isso, aliás, quem decidiu começar a ajudar a modificar o design de cada blog fui eu pois quando senti necessidade de fazer o mesmo ao meu, não houve ninguém que se oferecesse para o fazer de graça. E, apesar de o blog ser parte de mim, não estava disposta a pagar 20€ ou mais para o ter como gostava. Assim sendo, entrei neste mundo de ajudar sem olhar a quem, o que me tornou uma pessoa melhor, no entanto, senti que devido à minha boa vontade, existia quem abusasse um bocadinho. Sempre estive disponivel para tudo e estou muito orgulhosa dos design's que construí para as meninas mas, por várias vezes, senti que o meu trabalho não foi reconhecido. Eu não era obrigada a trabalhar para alguém que nem me estava a pagar e mesmo assim ficava até horas infinitas a trabalhar no blog, a aprender coisas novas, dei por mim a modificar design's inteiros 1 ou 2 vezes porque, enfim (...) Dei o meu melhor e estou de consciência tranquila quando digo que adorei esta experiência. Para quem tem um design meu e precisa de acrescentar algo, sinta-se livre de perguntar no e-mail, no entanto, não voltarei a fazer design's na integra. Um grande beijinho, Rosarinho.

domingo, 23 de agosto de 2015

Na altura era criança, e agora?

“Não dá para continuar porque tu és demasiado criança”. Usam e abusam desta desculpa como se ser criança fosse impedimento para algo, a verdade é que ser criança é relativo. No entanto, a nossa relação nunca foi relativa, tu sempre achaste os meus defeitos sinónimos de infantilidade e, em vez de os tentares perceber, sempre te deixaste ficar a um canto à espera da primeira desculpa para me deixar. Poderias atacar-me por vários lados mas preferiste acusar-me de ser criança, sinónimo de inocência, felicidade espontânea, paz de espírito, enfim. Hoje sinto que o que me faltou na altura foi maturidade suficiente para te responder “Antes criança do que amargurada da vida”, virar as costas e não pensar duas vezes em olhar para trás. Viver com alguém que não entende os seus próprios sentimentos de modo a compreender os sentimentos dos outros não é saudável e lamento que não tenha percebido mais cedo que tu eras assim. Como criança que sou, gosto de viver a vida sem ter de me preocupar com o que não vão gostar em mim ou se tenho de mudar por alguém. Hoje sou muito mais feliz comigo mesma graças a essa tua estúpida frase para acabar relacionamentos e espero que nunca encontres alguém que te considere uma criança, porque de inocente não tens nada.

Acredito que sim

Há caminhos que são traçados muito antes de sabermos que o foram, passamos várias vezes pela nossa cara metade e nem imaginamos que um dia essa pessoa vai ser a que nos fará feliz ou então somente a pessoa que ficará por uns tempos na nossa vida.

segunda-feira, 10 de agosto de 2015

Ondas do mar

As amizades são como as ondas do mar. Vão e vêm. E quem disse que as amizades são para sempre é porque nunca se deixou enrolar por uma onda, ao ponto de se deixar afogar. Ser amigo não é construir bonitos castelos na areia, é saber destruí-los quando é necessário e ajudar a reconstruir. Estou convicta de que estamos rodeados somente de conhecidos com pequenos interesses por coisas aleatórias que não seja em nós e no que temos para dar. Ser amigo não é tapar-nos o sol, é fazê-lo brilhar ainda mais quando nos vê, não há competições de quem deve brilhar mais, há partilha, amor, carinho. Quando a maré enche deixamos de ter pé em zonas que nunca imaginamos, resta-nos nadar até à superfície e tentar alcançar a margem, sem nunca colocar em causa a nossa capacidade de sobrevivermos sozinhos. A amizade deveria ser sinal de segurança mas nem sempre o é, e agora, ainda achas que tens amigos?

sábado, 8 de agosto de 2015

Sempre a mesma treta

Quando alguém chama de "meu" a algo que foi teu o vazio surge de novo. Eu não sei se sou eu, se és tu ou é o nosso fracasso de relação que me incomoda. Magoa-me sobretudo o facto de teres permitido com que crescesse algo com outro alguém se não eu e que ainda lhe respondas com sentimento e afecto. Nós somos jovens, crescemos num mundo onde a liberdade nos faz querer novas experiências e a angústia é esquecida em prol de festas e álcool que nos tornam vulneráveis e nos fazem derramar lágrimas a noite toda. O problema será sempre eu sentir de mais. E nada do que sinto se destina a uma relação amorosa, este desabafo é sobre a amizade e sobre o que ela representa para mim porque deveria ser sinónimo de eternidade, entretanto tornou-se sinónimo de saudade e melancolia. E enquanto eu guardo para mim o que resta de nós e procuro ir atrás do que quero na minha vida, deixo-te esta questão: Quando eu deixar de ir atrás de ti, quem virá atrás de mim?

quinta-feira, 6 de agosto de 2015

Decidi viver hoje

Tomamos decisões na vida que nos confrontam mais tarde. Por breves momentos decidimos não relembrar o que outrora formou os nossos caminhos até hoje. Há um silêncio que nos faz perder a conta de quantas vezes fizemos contas para saber o resultado do futuro agora descoberto. Na realidade, não é só o que não fiz que me arrependo, o que fiz também deixa as suas marcas, feridas abertas, por sarar, salpicadas com sal. Só o que fica e perdura é que nos faz ser quem somos. O que foi é história e de história vivem os museus, é o que dizem.

quarta-feira, 5 de agosto de 2015

Sinto-me em casa

"Lar doce lar". Sempre que inspiro tranquilidade e serenidade, seja onde for, sinto-me em casa. Gosto de sentir o sol a bater-me na cara, espreitando pela janela, fazendo várias sombras na parede branca. Quando o silêncio se apodera daquele espaço, o eco da minha respiração torna-se cada vez maior e a vontade de adormecer, entre as quatro ou cinco almofadas, é inevitável. Gosto de me sentir em casa mesmo sem estando em casa. E que bem que se está no que nos faz bem, bem ao espírito, bem à alma e bem à mente. Dá-se a renovação de um ser melhor, melhor para com os outros e para connosco próprios, porque estar bem é essencial e eu procuro estar bem - embora seja difícil em muitos casos. Agora que me sinto em casa, posso descansar no sofá que me acalma a ansiedade de voltar a conviver com o que me desinquieta e tudo o que me desinquieta vive lá fora. Depois da porta. E aí já não me sinto em casa.

domingo, 2 de agosto de 2015

Quando a saudade bate à porta, deixo-a entrar?

Há relações que não fazem sentido aos olhos dos seres humanos mas fazem todo o sentido aos olhos de Deus. Vivemos uma história de três meses que marcaram duas vidas que se encontraram e decidiram unir-se. Uma amizade tão forte que, pensara eu, nenhuma tempestade poderia derrubar os fortes muros construídos ao seu redor. Éramos duas almas gémeas do mesmo sexo, com um gosto enorme pela vida e por tudo aquilo que ela nos dá, quem olha hoje para nós não diria que fomos tão chegadas. Os caminhos separaram-se de tal forma que nenhuma encruzilhada nos levava à outra. O tempo foi passando e o que éramos deixou de ser de um momento para o outro, não restou um pingo de coragem para voltarmos a tentar construir o que tínhamos. Hoje, passado 1 ano e 8 meses, encontro-me aqui, morta de saudades de alguém que fez com que três meses fossem três décadas de alegrias e tristezas, mas sempre juntas. Deixei de culpar os outros por o que nos aconteceu, deixei de te culpar por me abandonares, deixei de pensar no que se passou enquanto não estivemos juntas. Comecei a olhar somente para as coisas boas do passado e foi aí que a saudade decidiu bater à porta. 

sábado, 1 de agosto de 2015

Inspire


Eu não sou eu nem sou o outro. Sou qualquer coisa de intermédio, pilar da ponte. De tédio, que vai de mim para o outro.

sexta-feira, 31 de julho de 2015

reflexões de alguém no escuro

Há dias em que perco a vontade de falar sobre ti e, porque dias não são dias, hoje é um deles. Não consigo entender se tudo o que disparas pela boca são ofensas pensadas ou falta de sensibilidade envenenada por uma alma amarga. Tinhas por hábito medir as palavras quando te dirigias a mim, repensar nas consequências e evitá-las a qualquer custo. Hoje sinto que não há mais nada que te impeça de seres cruel para quem já te deu um mundo pintado de azul. Já não há estrelas cadentes que nos salvem, nem desejos que possam ser pedidos, tudo se vai, tudo se esgota.

quinta-feira, 30 de julho de 2015

Review Dress Link || Recebidos

Finalmente chegaram os 3 recebidos da Dresslink que eu vos falei, são um género de uma recompensa pela nossa parceria. Aqui deixarei a minha opinião sincera para que possam tirar as vossas próprias conclusões se algum dia pretenderem encomendar algo do site. 
A Dresslink tem a sua plataforma online aqui e eu confesso que já conhecia mas nunca encomendei nada por várias razões: pagamento, tempo de entrega, tamanhos e por ser uma raridade encomendar algo pela internet. 
  • Pagamento: O pagamento apresenta várias opções para que o comprador possa fazer a sua escolha de acordo com as suas possibilidades. Eu, como antiquada que sou, não me gosto de sujeitar a qualquer tipo de problemas e, mesmo que seja 100% seguro, prefiro apenas olhar.


  • Tempo de Entrega: Geralmente estas encomendas demoram entre 15 a 30 dias úteis - visto que vêm da China. 
  • Tamanhos: Relativamente a tamanhos, os produtos estão orientados de acordo com as medidas da Asia, sendo que também poderão indicar uma tabela de comparação com outras medidas na descrição do produto. O chato é que tamanhos a cima de 40 não existem ou é muito raro por isso há que manter uma certa elegância para esta lojinha (sou totalmente contra).
Passo então a mostrar o que recebi com a parceria - deram-me um valor de, mais ou menos, 20€ para gastar e optei por investi-lo em objetos de verão:
Todas as comprinhas vêm empacotadas neste género de saco plastificado, bastante conhecido para encomendas e foi-me entregue pelos ctt's. Cada produto vinha embalado à sua maneira, não trazendo consigo o famoso saco bolha.

  1. Óculos de Sol: É sem dúvida a compra que eu mais gostei. Espelhados num tom azul amarelado, super na moda, e não trazem a lente riscada. As hastes dos óculos estão bem apertadas - por enquanto - e ficam muito bem na cara. Caso queiram, vejam aqui.



   2. Fato de Banho: Encomendei também um fato de banho branco com detalhes na frente, como podem ver na imagem. A qualidade é óptima, um tecido bastante forte, bons acabamentos. O único senão, para mim em particular, é que não me serve. Infelizmente um 38 fica-me pequeno mas entretanto já o ofereci a uma amiga e fica-lhe a matar (lá está, o problema dos tamanhos). Caso queiram, vejam aqui

.
   3. Para finalizar, um colar: Quando olhei para ele foi amor à primeira vista, no entanto e como já é normal em mim, esqueço-me em primeiro lugar de ver se o "fecho" está bom. Qual não foi o meu espanto - ou não - quando tentei abrir o fecho para colocar o colar e ele não abria, parecia que estava colado. Após várias tentativas, ele lá se abriu mas nota-se que não está bom e provavelmente irá partir-se. Por falar em partir, um dos fios pequenos do colar já se partiu (não durou nem 30 min. nas minhas mãos), não sei se problema meu ou do colar. Mas gostei bastante no geral, tinha a opção de duas cores, esta em prata ou em dourado, caso queiram encomendar está aqui.

No geral estou satisfeita com o que recebi, tenho pena que o fato de banho não me tenha servido porque fica um arraso com uma pele morena mas assim posso fazer feliz outro alguém. Em relação a preços, como já vos disse, foi-me dado um x crédito logo não paguei nada por estas 3 coisas e, como podem ver, mesmo sem pagar fui bastante sincera. Imaginem se tivesse comprado o fato de banho, a desilusão seria muito maior porque gastar dinheiro em vão não é de todo a minha praia, por isso, antes de comprarem qualquer coisa nesta loja, POR FAVOR, tenham a certeza que as medidas estão correctas e que o produto vos vai servir, conselho de amiga.

sábado, 25 de julho de 2015

Sinto pelos outros

Só sei que o que sinto só faz sentido se for para sentir por ti. Existe uma ténue ternura entre nós, vós sabeis do que falo, somos carne e sangue unidos por memórias e histórias. És tudo o que eu preciso, mas não neste momento, o futuro tornou-se mais agradável de imaginar do que viver o presente. Eu penso em nós como uma tempestade em que sabemos que, por ventura, ela chegará ao fim trazendo consigo a paz que necessito e só isso dá-me mais força para me olhar ao espelho. O erro está aí, nesse exemplo de desperdício de vida, deveríamos pensar em nós como um livro, sabemos também que ele irá chegar ao fim, mas por enquanto aproveitamos a história, rendidos ao que nos rodeia e sacia. Não podemos estar juntos agora mas pertencemos um ao outro e nada poderá mudar isso. Tu não gostas de branco e eu não gosto de preto e enquanto essas forem as únicas cores do nosso amor, nada poderá incorporar-se num só. Há mais vida para além de ti mas eu não vivo sem ti, e voltamos ao mesmo.

sexta-feira, 24 de julho de 2015

As cartas

É tão fácil abrir cartas que preferíamos nem ter recebido. Trazem consigo palavras que nos ferem a alma, que nos tiram o riso e que nos rasgam a vontade de seguir em frente. Nem a caligrafia mais bonita poderia tornar a mensagem mais doce, os erros ortográficos demonstram a indiferença que se apoderou entre nós, já não existe a preocupação de agradar ao outro. São cartas que não foram entregues em mão, a coragem vagueia por aí sem morada, não há troca de olhares, talvez porque o arrependimento poderia surgir ou então porque já não há nada a dizer. Foram abertas com receio e medo de erguer novas esperanças, no fundo tudo se resume a voltarmos ao que éramos e esquecermos o que nos magoou. Tudo o que restou daquele papel pintado por esferográfica preta foi raiva, raiva e solidão, nada mais haveria a dizer com tudo o que proferiste, agora resta-me esquecer que algum dia pensei em fazer parte da vida de uma sombra.

segunda-feira, 20 de julho de 2015

Happy B-day to me!

É oficial, hoje dia 21 de Julho de 2015 entrei nos 20! Deixei para trás o 1 que sempre acompanhava os outros números para me dedicar ao 2. Não me sinto mais velha, sinto que o tempo afinal passa, que o que gasto em lamentações não compensa a chegada de um novo ano. Btw o nosso anjo da victoria's secret,Sara Sampaio, também faz hoje anos.

sexta-feira, 17 de julho de 2015

Quase que Sim

Quando queres ele não quer e quando não queres é quando ele quer. Quem os vai perceber. Tu nunca sabes a quantidade certa de mensagens que podes enviar, nem como o deves tratar. Ser-se vulgar é tão fácil hoje em dia que para não o parecer torna-se complicado estabelecer uma conversa coesa e com um certo grau de maturidade. Ele diz que não está interessado mas pergunta-te constantemente se tiveste saudades dele e nós pensamos, qual será a necessidade de saber se sentimos a sua falta, complexo de atenção? ou simplesmente elevar o ego? Corremos nesta passadeira para não nos deixarmos apanhar pelos seus excessos de confiança, "Oh, tu sabes que tens saudades minhas". Facilmente relembramos todas as vezes que não obtivemos qualquer tipo de resposta, quando nos sentimos a mais numa conversa entre duas pessoas ou até mesmo quando o assunto nem chegava a ser assunto. Não ter saudades dele já era normal mas e se ele tivesse saudades minhas? Ou saudades do que poderíamos ter sido? Ri-me. Uma mensagem está à distância de um click e eu nunca a recebi. Justifico esta falta de resposta com o destino, nunca seriamos singulares se fossemos um plural.

quinta-feira, 16 de julho de 2015

Ainda dói

Sou egoísta ao ponto de preferir que sofras na solidão do que sejas feliz com outro alguém. Não subscrevo a teoria de que saber amar é saber deixar ir. Se eu te amo não te quero deixar, nem ir, nem vir, quero-te onde sempre estiveste. Não me sei afastar, não sei fingir que estou bem, não sei não preocupar-me com o teu afastamento, e por mais que as palavras te digam uma coisa, o sentimento diz outra. Sou egoísta ao ponto de preferir odiar-te a sofrer de amor por alguém que nunca me soube pedir desculpa. Sou ressentida, rancorosa, amargurada, há quem diga que tudo isto se chama sensibilidade, eu prefiro chamar-lhe mau génio. Porque o tempo irá passar mas tudo ficará gravado e, quando a discussão surgir, estas serão as primeiras mágoas que te atirarei à cara. Deus fala em perdoar mas eu não consigo, talvez um esquecimento momentâneo, mas perdoar é fingir que não passei pelas portas do inferno sozinha, sem ti e também por culpa tua. Perdoar é desrespeitar a minha alma e relativizar o que destruiu parte de mim, das minhas vivências e das minhas memórias. 

terça-feira, 14 de julho de 2015

Mais uma tarde

Aqui fica mais uma tarde trabalhosa mas com um resultado cheio de reações boas e amorosas. Fico muito contente pela forma como reagem ao produto final dos vossos blogs. A Mia contactou-me porque estava a pensar mudar-se da plataforma sapo para a blogger e desejava muito um novo visual. E é claro, louco como sou por design, decidi ajudar. O blog da Mia é novo por isso passem por lá com um cesto cheio de coisas boas para lhe dar as boas vindas: Agridoce . Um beijinho e já sabem como me contactar!

sexta-feira, 10 de julho de 2015

Lufada de ar fresco

Há ares que são mais difíceis de respirar. O vento bate-te na cara, sentes os pulmões a contraírem-se mas há algo que te impede de cumprir com o ato básico de sobrevivência. Talvez seja cansaço de uma vida atarefada e sem reconhecimento ou simplesmente porque já nada te prende ao mundo terreno, a verdade é que ficas imóvel à espera que alguém respire por ti. Mas ter alguém para nos facilitar a vida é como uma bicicleta com rodinhas, algum dia teremos de encontrar o nosso próprio equilíbrio, cair e levantar, saber sarar as feridas e confiar no tempo. Por ventura o tempo será o nosso apoio, também sei que nos vai iludir e desiludir, acontece que colocar as culpas dos nossos problemas em algo ou alguém será sempre mais fácil para chorar sem nos sentirmos culpados. Enquanto a desilusão aumenta o ato de respirar torna-se mais difícil que viver. Saber viver é relativo, vive-se somente porque o coração bate? 

quinta-feira, 9 de julho de 2015

Parceria: Dresslink

Hoje venho-vos comunicar que a Dresslink entrou em contacto comigo para uma parceria com o Blog da Rosarinho. A Dresslink é uma loja chinesa, já devem estar a adivinhar o género, e vende de tudo um pouco. Ainda estamos em conversação pois, como devem de imaginar, o fuso horário não ajuda às trocas de e-mail's. Espero que tudo corra bem e possa dar-vos a conhecer esta loja porque tem produtos a preços super acessíveis. Nunca vos mentirei à cerca da qualidade de qualquer produto visto que a parceria também é com quem me segue e, para tal, precisamos de estar em sintonia entre o que eu digo e o que vocês idealizam num produto.
Espero em breve trazer mais novidades para vos dar. 
Love, Rosarinho

quarta-feira, 8 de julho de 2015

Tulipa Negra com um novo espaço

Às vezes é preciso uma mudança para que o nosso dia se torne melhor. Senti que a Tulipa Negra precisava de uma nova alegria e decidi responder ao seu desejo de ter um novo espaço, mais acolhedor e amoroso. Mais um design feito com carinho e amor, como todas sabem que a Rosarinho trabalha. Passem pelo blog dela, Tulipa Negra, e vejam como resultou o trabalho final. Quem precisar de ajuda para uma remodelação do seu blog, contacte-me: maria.p.arcadinho@hotmail.com!

terça-feira, 7 de julho de 2015

Quando dois significa eu e eu

Quando já não há amor tudo lhe irrita: a tua voz, as tuas manias, a tua respiração. Quando já não há amor também já não há nada a fazer, não mudes por alguém que já não te queira, guarda-te para alguém que te veja como és e te sinta como o seu mundo. Histórias de amor não foram feitas para Gregos e Troianos, foram feitas para quem já não acredita que podemos ser felizes com alguém, são ilusões que nos fazem duvidar das nossas capacidades, de nós próprios como pessoas. Ser feliz sozinho também é opção, uma opção acorrentada pelas tradições que veneram o casamento,a vida a dois, o compromisso recheado de dissabores escondidos. Tenho pena que só vejam os solteiros como pessoas com azar no amor, quando são muito mais que isso. Ser feliz sozinho deveria ser motivo de orgulho, a capacidade de nos satisfazermos sem promessas que não se cumprem faz com que haja esperança para um novo dia. Pensei que partilhar um sentimento com alguém poderia ser a solução de todos os problemas mas as guerras continuaram, as falências, as mortes, o mundo não se sentiu emocionado com a junção do homem e da mulher. Por isso mesmo, guardemos a ideia de que estar com alguém é sinónimo de felicidade numa gaveta, tudo o resto melhora se pensarmos no amor próprio que podemos produzir.

segunda-feira, 6 de julho de 2015

+2


Hoje foi dia de trabalhos a dobrar porque uma segunda feira sem trabalho não é nada. Como podem ver, há sempre espaço para me dedicar a 200% ao vosso blog mesmo que tenha outros trabalhos ao mesmo tempo. Aqui vos mostro mais 2 trabalhos que adorei fazer, fico muito satisfeita que me venham procurar para vos ajudar a melhorar o aspecto do vosso cantinho.Obrigada, vocês são maravilhosas!

domingo, 5 de julho de 2015

Com amor tudo se faz

Mais um design acabadinho de fazer, quando coloco mãos à obra não descanso enquanto não vir o resultado final. Hoje a minha dedicação foi para a Laura Margarida do blog: Como as fases da Lua. Conheço a Laura pessoalmente e não podia deixar de apresentar com um bonito e simples design para o seu novo blog. Adorei como sempre, foi um prazer trabalhar para ela.Vão lá dar um saltinho e já sabem, se quiserem um design personalizado (não sou profissional,faço por gosto!) enviem-me email para maria.p.arcadinho@hotmail.com, é tudo de graça,pagam-me com amor e eu agradeço.

Basta haver

Há presenças que sufocam e ausências que nos libertam, não deveria de ser ao contrário? Há amores que nos destroem e chocolates que nos consolam, gatos que nos guardam e cães que nos atraiçoam. Há um eu ausente e um tu dependente. Basta haver, basta sentir que o mundo está ao contrário para que a felicidade já não seja igual.

quinta-feira, 2 de julho de 2015

Tumblr

Hoje venho-vos falar sobre esta rede social que está tão na moda por todo o mundo: o Tumblr.
Acredito que saibam do que falo, não é nada novo, no entanto, e como podem ver na imagem, o meu tumblr nada tem a ver com os famosos tumblrs dos adolescentes portugueses. Há 5 anos atrás decidi inspirar-me nas variadíssimas amostras de tumblr's vintage, muito comuns nos outros países, comecei por ter um green blog (imagens da natureza, bastante verde à mistura) mas acabei por me ficar com um vintage/pale blog (imagens mais brancas ou castanhas). 90% dos meus seguidores não são portugueses e somente sigo tumblr's do género do meu, quando encontro um tumblr do mesmo género português fico maravilhada, não é todos os dias que alguém decide optar por um tumblr vintage e colocar de parte o "swag" ou o "porno". O meu tumblr é o Matutinuss, que significa amanhecer em latim, e estou muito feliz com o resultado, em breve chego aos 1000 seguidores e não podia estar mais feliz por reconhecerem que existem imagens simples e belas que devem ser reblogadas. E vocês têm tumblr? De que género? Beijinho!

terça-feira, 30 de junho de 2015

Drama dos 20

Aos poucos vou deixando de me preocupar com o que os outros esperam de mim. O engraçado da vida é que no exacto momento em que não há nada que te possa incomodar, lá acontece algo que te tira horas de sono, vontade de comer, ou até mesmo, vontade de deixar de ter vida social. O estranho é ainda conseguir deixar-me afectar por atitudes de pessoas medíocres que se preocupam mais com a falsa e repugnante aparência. Supondo eu que sou um ser superior e que, dadas as circunstâncias, tenho outras na coisas na vida que me podem ocupar o meu pequeno cérebro e a minha monótona vida, estou a cem por cento aberta para apagar tudo o que me incomoda. No entanto, e para complementar este estranho e requintado problema, tudo o que me afecta foi o que um dia me preencheu: amizades antigas. Aos poucos começo a perceber que os meus ditos amigos vão começando a desaparecer, como gotas de água num tecido em pleno Verão e que, outrora quando seria a primeira a ser convidada para sair, começo a nem ser opção para tal convite. Ir para o último ano da licenciatura em Psicologia fez-me perceber que para estar bem com os outros preciso, em primeiro lugar e bastante importante, de estar bem comigo mesma. No fundo necessito de dar valor ao que realmente precisa de mim, seja o que for e colocar de parte tudo o que me magoa constantemente: seja amigas falsas (todos as temos), oportunistas ou amigos por conveniência. Preciso de reorganizar a minha lista de amizades, refazer as minhas prioridades e, sobretudo, ser Feliz com o que tenho e não ser infeliz com o que eu queria ter e não tenho.

domingo, 28 de junho de 2015

.

Sempre gostei de um belo café quente pela manhã enquanto esperava por uma mensagem tua, as famosas e tão desejadas mensagens que nunca te dignaste a enviar. É verdade, sempre esperei por ti, mesmo quando nunca o soubeste. Hoje penso na quantidade de tempo que gastei à espera de um sinal da tua presença. Na altura parecia o certo a fazer, estar ali a teu lado para tudo, ser uma sombra silenciosa mas presente que caminhava junto a ti. Tu serias o rio que iria sempre desaguar a mim e eu, tola, acreditei que a mensagem chegaria sempre à hora o meu café, até ao dia que não chegou. As palavras secaram e com elas o meu orgulho também, sentada, sozinha e com saudades de um mito. Imaginara este dias vezes sem fim mas nunca acreditei que ele chegasse a nós, porque tu precisavas de mim para caminhar.. Ou era isso que eu pensava. Quando o passo era maior que o comprimento das tuas pernas, lá estava eu, uma muleta humana sempre disposta a aparar a tua queda ou a evitá-la. E, afinal, quem evitou o meu desabamento? Quem foi a minha muleta quando não consegui mais esperar por uma mensagem tua? A resposta está no tempo. O tempo lavou-me a cara, secou-me as lágrimas e voltou a lançar-me ao céu, estava na altura de eu começar a voar sozinha. Sozinha mas feliz.

sábado, 27 de junho de 2015

Somos

Somos tanto ou tão pouco, nem sei bem precisar o que somos:
Simplesmente o somos, como gente, como corpos que se tocam, como almas que encontraram numa noite vazia e de consolo. Respiramos o mesmo sentimento de insegurança e desejo. Eu quero estabilidade e tu queres-me, independentemente do que poderá vir comigo, queres-me porque o desejo carnal sobrepõe-se ao coração. Não há horas para nós, nem explicação, muito menos entendimento.

quinta-feira, 25 de junho de 2015

De coração cheio

Obrigada, sem vocês quem seria eu? É verdade, acabo de realizar mais um trabalho de design para a Catarina do blog Apenas a Lua. Realmente vocês são as melhores, mesmo sabendo que não sou uma pró nestas coisas, vêm pedir ajuda!! Adorei conceber este banner, esta bio, enfim, vão lá dar uma espreitadela. Adorei, foi com amor e dedicação, espero que a Catarina goste tanto do seu novo cantinho como eu. 

+1 amor que me enche o coração

Acabo mesmo agora de terminar mais um projecto que adorei realizar, foi totalmente diferente de todos os que já tinha feito: podem ir ver o blog da Anita, My things in my world. Ela é uma blogger super simpática e exigente, trabalhamos bastante para alcançar o resultado final, desde o cabeçalho, ao fundo, à biografia ... Enfim, foi uma manhã trabalhosa mas que valeu a pena, estou muito feliz com o resultado final.
Se precisarem de ajuda na alteração do vosso design podem contactar-me: maria.p.arcadinho@hotmail.com, volto a dizer que faço tudo de GRAÇA, não cobro nada, é tudo feito com amor e de coração. 

segunda-feira, 22 de junho de 2015

E entre tempo, espaço, amor e desamor, eu encontrei-te. No teu perfeito e carinhoso espírito selvagem, fugaz, disperso pelas mais belas vidas que já viveste. Senti-me capaz de me expor aos teus movimentos brutos, reparei que me estava a sentir viva novamente e gostei. Não deveria mas gostei. Hoje sinto-me mesmo um tanto faz para quem já tanto fiz e tu alegras os meus dias e as minhas noites, a inocência permite-me ainda ficar horas acordada a falar contigo, das mais palermas coisas, sem receio de nada e com esperança de tudo. Voltei a uma adolescência saudável e feliz. 

segunda-feira, 18 de maio de 2015

Quando damos demasiado de nós a alguém e ficamos com o que resta para nós, nem sempre esse resto é o suficiente para nos manter vivos. O coração continua a bater mas alma já não é alma, é lama. Quando a felicidade é um recurso e o amor é uma suposição, de que nos vale querer ver alguém mais feliz que nós? Só tu é que não viste que eu estava ali, de braços abertos à espera da tua primeira queda para te agarrar. Reduziste-te ao silêncio. "É o melhor para os dois". Para os dois ou para ti? Não me alimento só de se's e a minha vontade de viver é maior do que todas as esperanças que me deste, esperanças essas que ficaram enterradas nas mentiras e injúrias que proferiste. Agora encontro-me só mas feliz. Uma felicidade tão grande que consigo amar por nós dois, algo que nunca conseguiria se ainda estivesse a teu lado. 

sexta-feira, 15 de maio de 2015

+ 1

Mais 1, é verdade!! Terminei mais um design para um blog fantástico (e não são todos?), foi com enorme prazer que aceitei este pedido pois já estava a ficar farta de não ter nada para fazer no que se refere a design. O blog modificado ou renovado, é como preferirem, foi o Cor de Salmão, excelente comunicação com a blogger, super simpática e acessível, vão ao blog dela e vejam por si!! Há quem me pergunto se não me canso e eu respondo sempre que não, faço de graça, faço porque gosto. E se já se perguntaram porque ficam mais ou menos todos parecidos eu respondo que, como devem de imaginar, eu não sou profissional, estou em Psicologia e não em Web Design, tudo o que faço é com base de tutoriais e muita pesquisa, por isso sintam-se livres para dizerem o que quiserem. Enfim, espero que tenham gostado deste novo projecto, para mais inf. ou também uma ajudinha no decor, contactem-me sem vergonhas: maria.p.arcadinho@hotmail.com

quinta-feira, 14 de maio de 2015

Segunda Opção

As pessoas esperam de ti algo que nem elas mesmas conseguem ser, é ridículo. E eu sempre me dei mal com pessoas ridículas. Ridicularizam a amizade ao máximo, fazem de nós um meio de fuga para aqueles momentos em que se sentem mais apertados ou com vontade de devorar o mundo. O dia-a-dia deles nunca passa por nós. Já a minha avó dizia "Para uns, vamos ser sempre uma segunda opção disfarçada de sorrisos amarelos", e não é verdade? Não sei até quando vou suportar tanta hipocrisia, e quando o ceú não aguentar mais as minhas lamentações, vou espalhando por aí, pelos ventos e estradas, que não sou segunda opção para ninguém. Até lá deixo-me estar, sou como uma ampulheta, algum dia terei de me voltar de cabeça para o ar para recomeçar... Se voltar.

domingo, 10 de maio de 2015

Perdi-me e encontrei-te

"Precisávamos ambos de intérpretes, mas de intérpretes especiais; porque nós entendíamos as subtilezas um do outro, mas nunca percebíamos o óbvio." : Acho que a resposta está nos momentos que partilhamos juntos, nunca foram escassos nem sem conteúdo, estamos habituados a elevadas gramas de pequenas subtilezas e, quiçá, algumas, poucas, gotas de união. Foges de mim, eu fujo de ti, nós fugimos um do outro e encontramo-nos sempre no mesmo local, à mesma hora. Gosto de ti assim, a fugir de tudo o que te prende, a desejares estar comigo mais do que tudo o que te obriga a estar presente.
Aos poucos gritamos o nome um do outro, numa estrada sem saída como a nossa vida, e foi aí que percebi como o meu nome está cravado na tua garganta, no teu coração, na tua mente e, se possível, no teu ser. Assim, deixem-me estar, aproveitar o momento e respirar o que de melhor tenho nestes anos que vivi e que vivo: tu e a tua maneira de estar no mundo.

sexta-feira, 8 de maio de 2015

Outro design acabadinho de fazer

Boa noite meninas, acabo de realizar outro design, adoro isto!! A sortuda foi a Diana do blog Clichês, conheço-a pessoalmente e para além de ela ser uma querida é também um doce e tem sempre novidades no seu cantinho por isso já sabem, toca a seguir. A Diana pediu algo simples, bonito e claro, não podia faltar um gatinho no seu design. Espero que tenhas gostado Diii, foi com amor.

✿✿✿

Já sabem meninas, quando precisarem de ajuda a dar mais cor e outro ar aos vossos blogues, de graça, podem sempre vir falar comigo, não sou profissional nem nada do género, simplesmente tenho algum conhecimento na matéria: maria.p.arcadinho@hotmail.com

Miminhos recebidos

Hoje cheguei a casa, depois de passar a semana fora devido à faculdade, e não é que encontro isto no meu quarto! E quem diz que ela não é louca por material de decoração e de papelaria é porque não a conhece! A Kika do Encontramos em Veneza enviou-me estes miminhos por eu lhe ter feito o seu design atual do blog e eu fiquei encantada! Obrigada minha querida, foi com todo o prazer que o fiz, e tu sabes.
✿✿✿
Obrigada por tudo, pelas palavras, pelo carinho, pela amizade que ainda é virtual mas que nunca se sabe. É bom saber que não estamos sozinhas mesmo quando o estamos. Estarei sempre aqui para tudo.
Marias há muitas © , All Rights Reserved. BLOG DESIGN BY Sadaf F K.