terça-feira, 28 de agosto de 2012

Deixa-me adormecer mais um pouco. Ainda agora acordei e já sinto os olhos cansados. Cansados de intolerância e rouquidão. Sinto as minhas pernas a quebrar, não caminho, estou presa ao tempo. E não peço ajuda porque não preciso de esperanças. Falsas esperanças e momentos provisórios. Não gosto de estradas curtas que não mantêm uma conversa interessante e longa. Longa de adjectivos e figuras de estilo utilizadas pelos professores mais antigos mas com mais sabedoria.  Quanto ao sono e ao cansaço deixo-o estar sossegado, não o quero desanimar. Sei que por outra perspectiva eu só me sinto só e só digo, rodeada de gente mas com o coração vazio. E sei de imensa gente que se sente assim. Mais cansada do que viva. Não sei nomes, eu nunca fui boa com nomes próprios só comuns, tão comuns como o meu. 
E algo me fez levantar. Não tu, não eu. Mas algo mais forte que isso. Talvez o vento ou a chuva. Mas faz sol e aí a minha ideia contradiz-se. Nunca soube ao certo o que foi, mas deixou radiante.

19 comentários:

  1. o medo tornou-se algo presente depois de se ter tornado algo real. sei que é ele que me destrói e que destrói o amor que sinto mas é inevitável não o sentir. nunca confiei nas pessoas e pela 1ª vez que confiei desmoronou-se tudo. agora é difícil voltar a sentir uma paz de espírito, por mais que queira e por mais que me façam acreditar que não vai voltar a suceder aquilo que tanto me sobressalta. mas estou a tentar, só é difícil às vezes. obrigada pelas tuas palavras :)

    ResponderEliminar
  2. quando estou num "dia sim" penso exactamente da mesma maneira que tu, que dar uma 2ª(3ª, 4ª..) chance é o correcto porque desta vez estou a ver mudanças significativas, que estou a ver um crescimento nele e uma entrega que não via há uns meses. mas nos "dias não" (que infelizmente são mais do que os "sim" basta não receber uma mensagem durante um dia para pensar que tudo não passa de uma ilusão, que estou a desvanecer da mente e das vontades dele. é uma montanha-russa de emoções que tão depressa me deixa o coração nas nuvens como nos pés. esquecer sei que é impossível, pelo menos para alguém com o meu feitio, e perdoar nunca me tinha sido possível em situação parecida. para mim magoar só me magoam uma vez, mas desta vez foi diferente. é diferente. estou a aprender a fazê-lo mas é tão difícil...

    ResponderEliminar
  3. a distância dói e corrói mas não vou deixar que o meu medo seja mais forte que eu. e tens razão, se depois de tanta coisa ele continua cá e diz que sou eu a tal e que não há ninguém que o faça sentir como eu faço isso é algo pelo que vale a pena aguentar. e nós somos fortes, somos capazes :)
    obrigada pela conversa, estou um bocado mais calma agora. beijinho*

    ResponderEliminar
  4. Tem que ser princesa, tenho de aguentar!

    ResponderEliminar
  5. ohhh minha lida não podia concordar mais contigo. e podes ter a certeza com ele até podia ser "um amor e uma ponte"só me é importante ele. ele e ele.

    ResponderEliminar
  6. obrigada de coração minha fofinha <3

    ResponderEliminar
  7. tenho saudades nossas irmã, acreditas?

    ResponderEliminar
  8. Cada vez gosto mais deste cantinho, acredita «3

    ResponderEliminar
  9. Não princesa, não estou nada bem. São problemas atrás de problemas. E por vezes sinto-me cansada e sem forças para lutar. Mas com o tempo, vou ficar bem. "Sei que por outra perspectiva eu só me sinto só e só digo, rodeada de gente mas com o coração vazio." Oh percebo tão bem esta frase que escreveste. Adoro simplesmente tudo o que escreves. E espero que um dia deixes de te sentir só e que o teu coração se encha de felicidade.

    ResponderEliminar

Para a Rosarinho:

Marias há muitas © , All Rights Reserved. BLOG DESIGN BY Sadaf F K.