sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Não conheço ninguém mais náutico que ele. Quando ele inventa todos os instrumentos para me mostrar que o sol é tão brilhante como a lua, mesmo que eu não acredite. Que a água do mar no fundo é doce, que as tempestades não passam de pequenas zangas dos Deuses e que o amor é uma flor que nasce no cume de uma montanha. Eu rio-me, porque os meus dias têm sido nublados e só ele me trás esse cuidado. No fundo a transparência da alma dele não faz mal a ninguém e muitos duvidam dessa inocência. Mas eu sei, eu sei que tu és divino e que as tuas asas só aparecem de noite. 
Estou nostálgica esta manhã, manhãs estas que têm trazido o bom ar. Obrigada por estares sempre comigo, mesmo nessa tua indiferença, nessa tua transparecia, porque eu não te vejo mas sinto-te. Sinto-te como nunca ninguém te sentiu. E deixa-me estar, as coisas boas da vida são aquelas que ninguém as desfruta, somente uma pessoa. Eu.

16 comentários:

  1. Gostei imenso de ler, gosto da forma como escreves! :)

    ResponderEliminar
  2. O sol nem sempre brilha para todos. Na minha vida tem havido algumas nuvens que não deixam o sol chegar até a mim. Talvez o tempo ajude a levar essas nuvens para longe..

    ResponderEliminar
  3. há coisas que simplesmente são difíceis de esquecer, como algumas palavras. e o que custa mais às vezes é quando são ditas da boca para fora, ditas só porque sim.
    sinceramente, nem sei porque escrevi aquele texto. talvez porque comecei a pensar em tantas mentiras que já me disseram, acho que foi apenas uma vontade que tive de o escrever.
    mas obrigada pelo que me disseste (:

    ResponderEliminar
  4. Textinho muito bom de ler. Beijinho :) *

    ResponderEliminar
  5. Que mimo! Texto tão lindo.
    Gostei do blog, já sigo.

    ResponderEliminar
  6. Gostei tanto do que li !
    E obrigada minha linda.

    ResponderEliminar

Para a Rosarinho:

Marias há muitas © , All Rights Reserved. BLOG DESIGN BY Sadaf F K.